NÚCLEOS NOTÍCIAS PUBLICAÇÕES TRATAMENTOS PARAMILOIDOSE A ASSOCIAÇÃO
O Salvador era uma criança sempre alegre...
  • Uma criança sempre alegre...
O Salvador era uma criança sempre alegre e sorridente até que um certo dia na sua infância a mãe fica doente sem motivo aparente. Após vários exames nos hospitais é-lhe diagnosticado uma doença rara. A casa do Salvador esmorece do dia para a noite e ele começa a conviver diariamente com sofrimento da doença da sua mãe. Há medida que os anos avançavam o estado de saúde da sua mãe agravava-se e tornava-se quase impossível suportar tanto sofrimento.
 
É na rua que o Salvador procura uma segunda família para se refugiar da angústia que sente em casa, começando a andar com más companhias e a fazer más escolhas na sua vida. Focados na doença da mãe do Salvador, os pais nem se apercebem da revolta que cresce no íntimo da criança, nos problemas com as drogas e com as autoridades. O Salvador tornara-se violento devido à revolta que tinha andado a cultivar desde os tempos de criança quando a sua mãe ficou doente, e chega a ser preso. Após ser libertado continua a fazer asneiras atrás de asneiras até que um dia o azar volta a bater à porta de sua casa. O pai não conseguiu aguentar mais o sofrimento diário da mãe de Salvador e abandona a casa, deixando-a entregue à sua própria sorte.
 
É nesta altura que Salvador torna-se um homem crescido e mostra que a vida de rua que ele levava ensinou-lhe que para sobreviver a esta provação teria de ser duro assim como na rua. O Salvador começa assim a dura tarefa de tomar conta de sua mãe doente e deixa o passado para trás. Entretanto o Salvador depara-se com mais problemas: o divórcio dos seus pais e a partilha de bens decretada pelo tribunal. A sua mãe é obrigada a dar uma quantia avultada ao pai de Salvador para poder ficar com a casa caso contrário a casa teria de ser vendida e teriam de ir para a rua.
 
Perante este triste cenário, o Salvador não se deixa ir abaixo e embora sozinho começa a traçar um plano para não perder a casa onde nasceu e onde em tempos foi muito feliz. É obrigado a pedir um empréstimo ao banco e durante algum tempo passou fome para não perder a casa e poder proporcionar o melhor conforto à sua mãe doente. Desta forma, conseguiu ultrapassar esta fase difícil da sua vida, mas o azar volta a bater à sua porta.
 
Após exames médicos, o Salvador fica a saber que é portador da mesma doença rara da sua mãe. O sofrimento a que Salvador assistira durante os todos estes anos passa agora também a fazer parte da sua vida diária. Hoje em dia, o Salvador chora escondido pelos cantos para aliviar um bocado a sua revolta pelo facto de nunca ter conseguido ter uma vida dita normal.
 
Ainda hoje continua a tomar conta de sua mãe doente apesar dele próprio estar doente e tem lutado todos os dias para dar o melhor à sua mãe nos poucos dias que lhe restam. O Salvador vê na sua mãe doente o reflexo do seu próprio futuro.
 
Contudo hoje em dia faz uma pergunta a si mesmo: será que um dia tudo pelo que lutei e tudo o que sofri terá valido a pena, voltarei a sorrir e a ser feliz como naqueles tempos em criança?
 
Com autorização do autor Marco Mota.
O Salvador era uma criança sempre alegre...
O meu transplante hepático